• Você está em »

17 de julho de 2012

Objetivo

Destacar a função educadora e regeneradora da família, valorizando-a no processo de edificação moral do homem no seu esforço de construir um mundo melhor.

Adotaremos como objetivo geral do nosso trabalho, o mesmo objetivo proposto pelo documento Família, Vida e Paz, elaborado pela Comissão designada pelo Conselho Diretor da FEB.

Refletir sobre o papel do Evangelho no Lar para a criação e a manutenção de um ambiente harmônico e espiritualmente equilibrado;

Caracterizar o relacionamento entre pais e filhos, destacando a importância do respeito na construção de relações equilibradas e felizes;

Discutir as responsabilidades que sobrevêm para os pais nos casos em que apenas um deles exerce a função de criar os filhos;

Descrever a missão da maternidade seja esta de origem biológica ou apenas exercida por meio da adoção, destacando a missão do ser pai e mãe perante a Espiritualidade;

Refletir sobre o equilíbrio entre o trabalho e a dedicação Ai?? família, identificando os princípios que devem nortear as escolhas a serem realizadas por cada um;

Discutir como os pais contribuem no desenvolvimento dos filhos, favorecendo que estes explorem e desenvolvam os potenciais positivos trazidos para esta encarnação;

Reconhecer a família como impulsionadora do progresso dos Espíritos que a formam, identificando as consequências sobre a prole do relacionamento entre marido e mulher;

Analisar o papel da família quanto ao processo de valorização do trabalho pelo jovem, caracterizando os princípios espíritas que devem nortear esta ação;

Reconhecer a importância da família na proteção da criança e do jovem diante das drogas e da violência;

Refletir sobre a formação moral dos filhos na atualidade, analisando os fatores que predispõem ao desenvolvimento de comportamentos discriminatórios e violentos;

Conhecer as etapas para um desenvolvimento sexual e afetivo saudável, identificando formas de acompanhar e promover este desenvolvimento Ai?? luz da Doutrina Espírita;

Discutir como a família espírita deve trabalhar as questões de separação e morte junto aos filhos;

Discutir as diretrizes e os valores que devem estar presentes na educação da criança e do jovem, relacionando a contribuição dos conhecimentos doutrinários neste processo.

2 Responses to “Objetivo”

  1. Reginaldo Sena de Souza disse:

    Primeiramente, Bom dia!
    Não sei o que faço, tenho um sentimento paternal por uma criança da minha família. Sinto-me, como eu fosse o pai dela e lendo a matéria em questão, fiquei atraído por este curso, já que tenho uma relação quase que diária com esta criança e, por sinal é minha prima de terceiro grau. Faz sentido esta sensação que estou
    sentindo? Se alguém puder me ajudar, agradeço.

    Atenciosamente,
    Reginaldo Sena de Souza.

    • Ismael disse:

      Caro Reginaldo,

      É importante destacar que independente da parentela espiritual que venhamos a encontrar nessa existência, todas as pessoas devem ser amadas e tratadas como nossos irmãos. A espiritualidade superior espera que todos nós encaremo-nos como irmãos e essa é a destinação da Terra enquanto lar de regeneração e paz. Nutrir um sentimento de afeto fraternal é nosso exercício diário, não só para aqueles com quem nos afeiçoamos, mas para com todos que estão em nossa jornada existencial.

      Recomendamos que você procure Federação Espírita do seu Estado e solicite apoio no dialogo fraterno. Lá você poderá conhecer os caminhos possíveis para exercer o amor fraternal e comunhão familiar em todas as instâncias da vida.

      Trabalho, Paz e Esperança.

Evangelização Espírita





Redes sociais